Bebê prematuro: o que é idade corrigida, como calcular e até quando usar

A idade corrigida ajuda a família e os especialistas a entenderem melhor as conquistas e desafios enfrentados pelos bebês prematuros

Para acompanhar o desenvolvimento dos bebês utiliza-se os marcos do desenvolvimento – um conjunto de habilidades que a maioria das crianças atinge em uma determinada idade. No entanto, para acompanhar o desenvolvimento do bebê prematuro, é preciso realizar um cálculo que determina a idade que o bebê teria se tivesse nascido com 40 semanas de gestação, que é o tempo ideal que a criança precisa ficar no útero.

De acordo com a terapeuta ocupacional especialista em prematuridade, Pabline Cavalcante, do Portal do Desenvolvimento Infantil, os bebês prematuros são aqueles que nascem com menos de 37 semanas de gestação. Para acompanhar o desenvolvimento da criança prematura, é preciso fazer um cálculo que determina a idade que o bebê teria se tivesse nascido com 40 semanas de gestação, que é o tempo ideal que a criança precisa ficar no útero.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) classifica como prematuro extremo o bebê que nasce com idade gestacional inferior a 28 semanas de gestação; prematuro moderado a criança que nasce entre 28 e 32 semanas; e prematuro tardio os nascituros de 32 a 37 semanas.

O que é idade Corrigida?

Pabline esclarece que a idade corrigida é a idade que a criança teria se tivesse nascido na data provável do parto. Ou seja, com 40 semanas de gestação. Já a idade em que o bebê nasce é chamada de idade cronológica.

Corrigir a idade do bebê é uma estratégia dos especialistas para acompanhar o desenvolvimento do prematuro, pois estes se desenvolvem em um ritmo diferente dos bebês nascidos a termo. É como se eles nascessem “em desvantagem” em relação a quem chegou ao mundo na hora prevista.

Um exemplo utilizado para facilitar a importância da idade corrigida é o de uma corrida. É como se os bebês nascidos com 37 semanas ou mais estão todos posicionados na linha de largada, enquanto os prematuros já começam a disputa alguns passos para trás. Sendo assim, é inesperado, e até injusto, esperar que eles alcancem a linha de chegada ao mesmo tempo que os que estão à frente.

Por causa das semanas a menos no útero materno, nem sempre os bebês prematuros vão atingir os marcos do desenvolvimento no mesmo ritmo dos nascidos a termo. Eles podem demorar um pouquinho mais para bater palminhas, engatinhar, andar, falar.

Ainda utilizando a analogia da corrida, para colocar os prematuros na mesma “vantagem” dos nascidos a termo e saber se estão se desenvolvendo “no tempo certo”, os especialistas “corrigem a idade”. Assim, tanto os profissionais quanto a família aguardam o tempo de desenvolvimento e crescimento do bebê de forma adequada, pois a maturidade que não atingiram na barriga da mãe, continua se desenvolvendo fora dela.

A terapeuta ocupacional explica ainda que o tempo ideal para que a criança se desenvolva dentro da barriga da mãe é 40 semanas. Algumas gestações passam um pouquinho disso, e não há problemas. Da mesma forma, os nenéns que nascem após as 37 semanas também não precisam ter a idade corrigida.

Como calcular a idade corrigida?

Para saber qual a idade corrigida da criança, são necessárias duas informações: a idade em que a criança está e a idade gestacional que ele tinha quando nasceu.

A idade corrigida será o resultado da idade cronológica menos as semanas que faltaram para completar as 40 semanas de gravidez. Em outras palavras, a idade corrigida do prematuro é aquela contada a partir do momento em que ele completaria 40 semanas de gestação, e não do dia em que ele realmente nasceu. o calculo é o seguinte:

idade cronológica – 40 = idade corrigida.

Ou seja, hipoteticamente, se a criança nasceu com 36 semanas de gestação há 2 meses, ela tem 44 semanas de vida a idade corrigida dela é 4 semanas (um mês).

Se o parto ocorreu com 32 semanas de gestação, o bebê foi considerado prematuro de 8 semanas ou 2 meses. Então, se ele tem agora 5 meses de idade cronológica (20 semanas desde o nascimento). Porém, a idade corrigida é 3 meses. Nesse exemplo, é necessário acompanhar o crescimento e o desenvolvimento do seu bebê levando em conta que ele tem 3 meses, e não 5 meses.

Com a idade corrigida, profissionais da saúde, educação e do desenvolvimento infantil podem fazer uma avaliação mais realista do desenvolvimento do prematuro.

É a partir dessa ferramenta que esses profissionais poderão afirmar se a criança está conquistando ou não as habilidades esperadas para aquele momento. Isso vale para os marcos do desenvolvimento (sustentar a cabeça, sentar, andar, falar etc), para a introdução alimentar e para a aprendizagem.

Vale destacar que a idade corrigida não se eplica em apenas um exceção: a vacinação. Neste caso, a família deve seguir o calendário cronológico, sem correções, sempre sob orientação do pediatra. Além disso, nos documentos, em cadastros de estabelecimentos e até para as comemorações de aniversário, o que vale também é a idade cronológica.

Até quando usar a idade corrigida?

A terapeuta ocupacional do Instituto do Desenvolvimento Infantil, Pablini Cavalcante, explica que a idade corrigida apenas é útil nos primeiros anos de vida da criança. Sendo assim, não será necessário fazer o cálculo para sempre. O ideal é que essa correção seja feita até que os principais marcos do desenvolvimento neuropsicomotor sejam atingidos, ou seja, até os 2 anos.

 

Recentes

Pesquisas por “Barbie” e “Ken” crescem em sites de nomes de bebês

O aumento expressivo das pesquisas pelos nomes dos personagens...

Teste do Pezinho ajuda a identificar risco de AME na fase inicial da vida

No Brasil, pelo menos 60 crianças nascem com AME...

Bebê de 9 meses sobrevive após ficar presa em carro por 14 horas

A menina foi encontrada desidratada, mas em boas condições....

Newsletter

Veja também...

PMDF oferece equoterapia gratuitamente; Saiba como se inscrever

Vagas são distribuídas entre alunos de escolas públicas, dependentes...

Um pedido emocionado de desculpas: “Helena, perdoe o papai”

Em casa, temos uma regra: se a Helena (7...

Canção ‘Baby Shark’ arrecada mais de R$ 110 milhões no YouTube

A canção infantil é a mais assistida na história...

Senado aprova o Dia Nacional de Prevenção ao Afogamento Infantil

O objetivo é destacar a importância de prevenir o...

Parece a história de uma mãe, mas é a minha história

Casei-me com uma ex-aluna de faculdade. A mais brilhante...

Pesquisas por “Barbie” e “Ken” crescem em sites de nomes de bebês

O aumento expressivo das pesquisas pelos nomes dos personagens ainda não significa que os futuros pais vão realmente colocar estes nomes nos filhos O sucesso...

Teste do Pezinho ajuda a identificar risco de AME na fase inicial da vida

No Brasil, pelo menos 60 crianças nascem com AME por ano. “Um número alto para uma doença tão complexa”, diz especialistas Na última terça-feira (08/08),...

Bebê de 9 meses sobrevive após ficar presa em carro por 14 horas

A menina foi encontrada desidratada, mas em boas condições. Após avaliação médica, ela retornou para casa Uma criança de 9 meses sobreviveu a 14 horas...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui